Translate Fabiana Rasta´s Blog

RayCompany Web Rádio

02/02/2014

Fabiana Rasta lança novo single intitulado São Luís com a banda paranaense Namastê!

Olá galera...tudo bem com vocês?Desejo muita paz nesse dia de hoje!
Então,há um bom tempo eu escrevi uma música em homenagem a essa cidade querida que amo de paixão,essa São Luís do Maranhão. Apesar de tantas coisas negativas que tem sido divulgado sobre esta terra,é neste momento que lanço esta música como gratidão á tudo que a Jamaica Brasileira me deu como a cultura reggae e  toda sua musicalidade.
E aí e por influência da boa amizade que tenho com o Luis Henrique ,tecladista da Namastê, a banda se interessou pela música e decidiram gravar e eu fiquei muito feliz em ver o interesse de pessoas que nem me conhecem  ao gravarem uma música que não é deles e a razão para isto ,está  simplesmente no fato de serem pessoas de mente aberta alheias ao egoísmo que impera no mundo da música e darem o melhor de si para somarem com o trabalho do irmão,pois meu sucesso,também será o deles.
 A minha mais nova canção chamada São Luís  que irá  sair no meu segundo cd,contou com toda a produção musical do Luis Henrique e arranjos dos músicos super talentosos da Banda Namastê.
 E vou confessar,ouvindo a Namastê,quebrei um preconceito antigo que mantinha: Reggae do Sul é só p pular pois é muito pop! Assim pensava eu,mas essa banda de grande prestígio em Curitiba faz reggae roots  pra gente dançar agarradinho aqui no Maranhão e além do mais,as letras são ótimas.

Obrigada Namastê pela humildade e pelo carinho com meu trabalho!
Valeu Lh,meu grande amigo e fera no teclados!


Lh e o guitarrista Diego Bueno emprestando seu suíngue

Lh e o baixista Wellington fazendo os grooves

A vocalista Ana Maria e a back vocal Lag adicionando suas melodias

BANDA NAMASTÊ

Namastê
Cidade de origem: Curitiba [PR]
Formada em: 1998
Estilo predominante: ROOTS
Release - Banda Namastê - Curitiba - PR

O Deus que há em mim, saúda o Deus que há em você.
É assim, voltada para o significado da palavra Namastê, que a banda busca a integração das pessoas através do reggae.

Composta por Ana (vocal), Lag(vocal), Eduardo Ansay(guitarra e vocal), Diego Bueno(guitarra), Sub(baixo), LH Dub(teclado) , a banda mistura em suas composições o swing do reggae roots, aliado à melodia da mpb e a um pouco da energia do rock.

Caminhando sempre a passos firmes, a banda atrai, dia após dia, seguidores do seu estilo.
Conheça mais do trabalho musical desenvolvido pela banda Namastê e faça parte desta família também.


Histórico - Banda Namastê - Curitiba - PR

A banda NAMASTÊ iniciou seu trabalho, em 1998, tocando em bares e casas noturnas da cidade de Ponta Grossa-PR.
Procurando uma melhor estrutura para o crescimento da banda, retornam à cidade natal, Curitiba, no início de 1999.
Com o passar do tempo a banda NAMASTÊ, passou por algumas alterações em seu elenco de músicos até chegar naturalmente à formação atual, que tem como grande diferencial duas vocalistas principais.
Influenciados diretamente pela música Jamaicana, a banda segue seu caminho em busca do reconhecimento do seu primeiro trabalho - CD intitulado -Reggae do Bem- - e na realização de shows que trazem no seu repertório composições próprias e releituras de músicas consagradas, mantendo-se sempre fiel ao reggae.
Aproximadamente 500.000 pessoas já assistiram ao show da banda, que atualmente conta com quase 700 apresentações realizadas (até Fevereiro/2006), tanto em Curitiba, quanto em outras cidades, além de ter na -bagagem- a inclusão de suas músicas nas rádios 96 Rádio Rock (Curitiba-PR), Transamérica (Curitiba-PR), Jovem Pan (Curitiba-PR), Central Reggae (Programa comandado pelo vocalista da banda Tribo de Jah, Fauzi Beydoun, para todo o Brasil) e Cidade do Reggae (Programa comandado por Fernando Costa e Da Gama, guitarrista do Cidade Negra).
A banda foi incluída também em várias coletâneas regionais e nacionais. Destacam-se: "Coletânea de Reggae Geração Pedreira" da 96 Rádio Rock (inclusa na lista dos 100 CDs mais vendidos do Brasil), Coletânea Os 4 Elementos - "Água: Onda Reggae" do Projeto Geração Pedreira em parceria com o jornal Gazeta do Povo e Coletânea Nacional Central Reggae - produzida pelo vocalista da banda Tribo de Jah Fauzi Beydoun.

Em Dezembro de 2002, a banda realiza o show mais importante da carreira: Maratona de Reggae - Centro de Exposições Anhembi em São Paulo - 16 principais bandas de reggae do Brasil + 2 atrações internacionais.
Em Maio de 2003 a banda recebe as primeiras premiações de sua carreira. Na VIII edição do prêmio Saul Trumpet, um dos prêmios mais importantes da música paranaense, o Namastê ganhou em nada menos que 3 categorias: POP CD - "Reggae do Bem", POP Cantora - Vilma Helena Ribeiro e POP Grupo - Namastê.
Também em Maio de 2003, o Namastê realiza o show de maior público de sua carreira. Foi no Estádio Major Antonio Couto Pereira, antes do jogo Coritiba x Atlético-PR. Público total: mais de 24.000 pessoas.
Em Novembro de 2003 a banda assina um contrato de parceria para distribuição do CD Reggae do Bem com a gravadora Villa Biguá.
Em Abril de 2004 a música carro-chefe do primeiro CD faz enorme sucesso nas rádios de Belém do Pará.
Em Outubro de 2004, a banda Namastê entra em estúdio para a gravação do segundo CD, material este, que marca uma nova fase na carreira da banda, agora mais coesa da sua proposta. O álbum contará com 13 faixas. Um dos pontos altos deste trabalho é a participação de FAUZI BEYDOUN e ZÉ ORLANDO (ambos integrantes da consagrada banda TRIBO DEJAH) na faixa -REGGAE ROOTS-.
Ao final de 2004, a banda NAMASTÊ participa do mais novo projeto organizado pela gravadora Villa-Biguá artes e a rádio Transamérica - o CD -COLETÂNEA REGGAE TRANSAMÉRICA- - esta participação proporcionou a banda a oportunidade de lançar no mercado sua nova música de trabalho -MINHA PAZ- além de duas outras músicas já conhecidas do CD -Reggae do Bem- - Yojahyá e Velhos Tempos.
Em Julho de 2005, a banda lança seu segundo CD, intitulado -Simplesmente Assim-, com 12 músicas inéditas. Ainda no mesmo período, lança também seu primeiro video clipe, o qual contou com as participações de Fauzy Beydoun e Zé Orlando da Tribo de Jah e direção de Raul Machado (leia-se Raimundos, Natiruts, Sepultura, Ira!, entre outros).
Em Dezembro de 2005 a banda é convidada a subir ao palco da Pedreira Paulo Leminski, maior espaço para eventos da cidade de Curitiba. O evento reuniu aproximadamente 20.000 pessoas. Vale lembrar que a banda Namastê foi uma das 4 únicas bandas paranaenses a subir neste palco (Sr. Banana, Djambi, Black Maria) em toda a existência deste espaço, o qual já foi pisado por AC/DC, Pearl Jam, Ivete Sangalo, Ramones, Bon Jovi, Evril Lavigne, Big Mountain, entre outras.


Principais influências

Bob Marley, Peter Tosh, Alpha Blondy, Big Mountain, Steel Pulse, Black Uhuru, Bunny Wailer, The Wailers, Ziggy Marley, Morgan Heritage, Dennis Brown, Lucky Dube, Aswad, e MPB.


Aberturas de Shows e principais apresentações
- Marcelo D2 (São Paulo-SP) - Festa em Curitiba
- Israel Vibration (Jamaica) - Expotrade
- Junior Marvin (Jamaica - guitarrista da banda Bob Marley e The Wailers)
- Tribo de Jah (São luiz-MA) - Forvm, Bali Hai Guaratuba, Chácara do Potato, Moinho São Roque e Racho Mattei Manzi
- Dazaranha (Florianópolis-SC) - Forvm, Estação Plaza Show e Moinho São Roque
- Natiruts (Brasília-DF) - Estação Plaza Show, Pedreira Paulo Leminski
- Planta e Raiz (São Paulo-SP) - Looping, El Rancho, Reggae Night e Moinho São Roque
- Black Alien e B Negão (São Paulo-SP) - Era só o que Faltava
- Cássia Eller (Café Pinhão em Perequê-SC - último show da cantora)
- Raimundos (Brasília-DF) - Café Pinhão em Perequê-SC
- Maratona de Reggae (Anhembi - São Paulo)
- Zélia Duncan - Café Pinhão em Perequê-SC>
- Andrew Tosh (Jamaica) - Auditório Araújo Vianna - Porto Alegre - RS
- Abertura do Jogo Coritiba x Atlético-PR (Estádio Major Antonio Couto Pereira - Curitiba - PR)
- Cidade Negra (Rio de Janeiro-RJ) - Swiss Arena em Praia de Leste - PR
- Adão Negro (Salvador-BA) - Reggae Night e Moinho São Roque
- Gladiators (Jamaica) - Moinho São Roque
- Inner Circle (Jamaica) - Rancho Mattei Manzi
- Armandinho (Porto Alegre) - Maresia Música Bar em Itapoá-SC
- Pedreira Paulo Leminski


Participações Especiais - Banda de Apoio
- Amlack Tafari (ex-Pato Banton) e Vince Black (guitarrista da banda jamaicana Black Uhuru)
- Pato Banton (em alguns de seus maiores clássicos como "Baby Come Back" e "Go Pato")
- Black Alien (vocalista da banda Planet Hemp de Marcelo D2)
- Papa Winnie na casa de shows Looping - Ctba - PR


Cidades onde a banda Namastê se apresentou
Barra do Saí-PR, Belo Horizonte-MG, Brusque-SC, Caiobá-PR, Camboriú-SC, Campo Largo-PR, Castro-PR, Colombo-PR, Estrela-RS, Florianópolis-SC, Guarapuava-PR, Guaratuba-PR, Ilha do Mel-PR, Irati-PR, Itajaí-SC, Itanhaém-SP, Itapoá-SC, Joinville-SC, Lapa-PR, Londrina-PR, Marília-SP, Maringá-PR, Matinhos-PR, Nova Londrina-PR, Paranaguá-PR, Pato Branco-PR, Perequê-SC, Pinhais-PR, Piraquara-PR, Ponta Grossa-PR, Porto Alegre-RS, Porto Belo-SC, Praia de Leste-PR, São Bento do Sul-SC, São Francisco do Sul-SC, São José dos Pinhais-PR, São Mateus do Sul-PR, São Paulo-SP e Toledo-PR.






11/01/2014

O início do reggae em São Luís do Maranhão!

São Luís:Jamaica Brasileira

Não existe um registro histórico sobre o momento em que houve a introdução do reggae em São Luís.Uma das explicações é a preferência  de alguns discotecários pela música,entre eles,um discotecário chamado Riba Macedo,do Som do Carne Seca,antigo salão localizado no bairro da Areinha.Dessa forma,começou-se a disseminar o gosto pelo ritmo nas festas.Outro dado acrescentado á disseminação e aceitação do reggae era a preferência anterior e existente em São Luís por ritmos do Caribe como a salsa,o merengue,a rumba,o cha-cha-cha mas ,principalmente o merengue.
O certo é que durante a década de 70 começaram a ser ouvidos os primeiros sons de Jimmy Cliff e destacam-se já salões como o Carne Seca,no bairro da Areinha;o Rock,no bairro do João Paulo;o Mela-Mela,no bairro da Liberdade.
Localizados em bairros periféricos de São Luís ,esse salões atendiam todos os finais de semana um público específico ,composto por pessoas de baixa renda ,em sua maioria negros.O caráter social e econômico dos frequentadores-operários,mecânicos,subempregados,desempregadores- aliado ao estereótipo de música selvagem e anti-social acentuou a discriminação e marginalidade impostas não só á música  mas ,também aos salões de reggae e ao seu público.
Em São Luís,existe outro fenômeno interessante que são as radiolas (sistemas de som);através delas o reggae passou a ser difundido  em festas realizadas na capital e no interior,para públicos diversos.

FONTE:Projeto de Iniciação Científica Reggae Nigth- Lazer ou Resistência Cultural
ALUNO:Jorrimar  Carvalho de Sousa
ORIENTADOR: Carlos Benedito Rodrigues da Silva
ANO: 1990 em São Luís